Joy Freitas: Fotografia - Primeiros Conceitos




Fotografia - Primeiros Conceitos

Olá pessoal, tudo bem?

Logo quando retomei minha assiduidade aqui no blog, prometi escrever toda semana um post sobre fotografia mas acabei saindo um pouco do foco e me ocupando apenas com outros temas do blog! Desculpa aí, gente...ainda estou aprendendo a ser disciplinada nesse mundo de blogosfera hehehe

Hoje o tópico que quero abordar na fotografia é baseado na etmologia da palavra. A palavra fotografia vem do grego e significa escrever/desenhar com luz e contraste, ou seja, na prática fotografar é criar imagens a partir de uma exposição luminosa de forma a registrá-la num equipamento adequado que fixa essa imagem captada, no caso uma câmera.

Não tenho a pretensão de dar aula aqui, para isso existem centenas de blogs e canais de fotógrafos profissionais. Minha intenção no blog é compartilhar os meus estudos e as fotografias resultantes dos mesmos, por isso sempre vai aparecer nos posts sobre fotografia alguns links onde pesquiso e aprimoro meus conhecimentos.

E porque eu fui buscar todo esse conceito? Porque a partir desse entendimento eu posso fazer a metáfora mais legal que eu acho quando falo com alguém sobre o pouco que eu sei de fotografia.
Gosto de associar a tarefa realizada pela câmera com a tarefa realizada por nossos olhos, para explicar um pouco sobre três termos básicos e essenciais que devem ficar bem entendidos antes de você prosseguir com qualquer estudo mais profundo de fotografia: abertura, velocidade e ISO.

Mas qual é a associação com os olhos? Simples!
Eu sempre digo que se você pensar na câmera como se fossem seus olhos, vai ficar fácil entender os conceitos de abertura, velocidade e ISO, pois se você deixar seu olho muito aberto por muito tempo vai conseguir enxergar (captar) mais luz e imagem do que se você ficar com o olho meio aberto, ou abrir e fechar rapidamente. O mesmo ocorre com o "olho" da câmera.
Ainda usando o olho como exemplo, se você abri-lo demais e por muito tempo em direção a uma claridade muito intensa, irá "queimar" sua visão, digamos assim. Por isso existem fotos que nós fazemos que fica totalmente branca, super clara...e dizemos que a foto queimou. Por que? Porque houve uma super exposição...entrou luz demais na captação da imagem.

Feita a associação vamos aos conceitos para ajudar a quem, assim como eu, está engatinhando nesse mundo da fotografia:

1. Abertura do Diafragma:

O diafragma é uma espécie de “olho” formado por inúmeras lâminas que criam um diâmetro de determinado tamanho que controla a entrada de luz no momento do clique. Quanto mais aberto o diafragma mais luz entrará no mecanismo da câmera e vice-versa.

A captação da imagem abaixo foi feita utilizando aberturas diferentes sem alteração de velocidade ou ISO. Quanto menor o número (f/número), mais aberto está o diafragma. Vejam a variação da quantidade de luz com o diafragma mais aberto e a medida que a abertura diminui:

2. Velocidade do obturador:

O obturador é uma espécie de cortina dentro da câmera por onde a luz passa e chega até o sensor digital ou ao filme. O tempo que o obturador ficará aberto é que determina a quantidade correta de luz no mecanismo da câmera.

A captação da imagem abaixo foi feita utilizando velocidades diferentes sem alteração de abertura ou ISO. Quanto maior o número (1/número), mais curto o tempo que o obturador fica aberto. Vejam que quanto maior a velocidade menor foi a quantidade de luz que foi registrada na imagem:

3. ISO:

É a sensibilidade da película à luz. A película fotográfica costuma ter um número associado: 100, 200, 400, 800… Quanto menor o número associado à película, menor a sensibilidade da película à luz; significando que o grão da película é mais fino, logo deixa “entrar menos luz”. Portanto, quanto menor a iluminação maior deverá ser o valor do ISO, porém a imagem registrada ficará com mais "ruído".

A captação da imagem abaixo foi feita utilizando ISO diferentes sem alteração de abertura ou velocidade. Quanto maior a ISO, maior a sensibilidade a luz, por isso maior a captação de luz pela câmera. Vejam que a medida que aumentamos a ISO aumentou a quantidade de luz chegando a "estourar" a imagem, ou seja, queimar a foto como se dizia na época dos filmes:

Ah e para finalizar e incentivar, ou não!!! kkkkk brincadeira... vou deixar aqui alguns toques que encontrei no site Primeira à Esquerda.

10 sinais de que você nunca será um bom fotografo 

1. Você tem certeza de que quem faz a foto é a câmera, não o fotógrafo
2. Você tem certeza de que longos e caros cursos de graduação são necessários para começar a fotografar
3. Fotografia é Selfie.
4. Você não tem vontade nenhuma de ler sobre fotografia, praticar ou conversar sobre
5. Achar que as fotos tem que sair perfeitas diretamente da câmera já no primeiro dia de uso
6. Fotografar é tão complicado que é impossível de aprender
7. Tenho vergonha das pessoas, elas vão me ver fotografando.
8. Eu não faria fotos boas nem se minha vida dependesse dito.
9. Quero algo a curto prazo, comprar câmera e já sair botando logotipo nas fotos da minha fanpage de fotografo
10. Os dois lados da moeda: Se basear somente nas técnicas ou ir sempre na contramão das técnicas.
(Clica aqui para ler o artigo completo)

Fiquei feliz de perceber que não apresento nenhum desses sinais...acho que ainda tenho esperança de ser uma boa fotógrafa um dia kkkkkkkk

Lembrando que a ideia de citar aqui esses sinais é para ajudar a quem se identificar com alguns deles a corrigi-los a tempo de fazer um bom trabalho.

Deixa aqui embaixo seu comentário ou sugestão, pra eu saber se você gostou desse post.

Um bjo e até o próximo post!


Comentários do Facebook
0 Comentários do Blogger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião me interessa! Obrigada!



Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *