Joy Freitas: Outubro 2011




Viver com Amor!

No capítulo 3 do livro Comprometida de Elizabeth Gilbert, encontrei uma história muito interessante, a história do casamento e como esse conceito já foi tão diferente do que conhecemos hoje. Aliás, mais uma história que me faz desacreditar em verdades absolutas e rótulos pré-moldados aceitos socialmente.

Mais uma revelação que me permite ter mais certeza de algo que sempre acreditei: que assim como o ser humano é mutável a história da humanidade também é, sempre foi e por isso mesmo, viver sob constante opressão de vários paradigmas que a sociedade atual nos impõe é pura perda de tempo, é permitir que outros digam como você deve viver, é aceitar que sua felicidade dependa do que a sociedade julga certo ou errado.

Ao contrário disso se pararmos pra estudar e avaliar o desenvolvimento da humanidade desde os seus primórdios veremos que nada mais adequado que cada um buscar ser feliz da forma que melhor lhe convém, desde que tenha amor a Deus e ao próximo, pois a única coisa que nunca mudou na história humana é a importância que o amor deve ter nas relações (de qualquer tipo).

O amor, esse sim deve ser o princípio mais importante a ser levado em conta para se viver bem, feliz e em total comunhão com o mundo. Afinal é por falta de amor que os homens deixam aflorar sentimentos de raiva, inveja, desrespeito, desumanidade, preconceito, lutas, guerras, misérias, julgamentos, entre outros males do mundo.

Minha dica para ser feliz: Colocar amor em tudo que faz!
 
P.S. Se sobrar tempo colocarei alguns trechos desse capítulo aqui, pra quem ainda não leu o livro, afinal é sempre bom compartilhar histórias interessantes!
 

Bienal do Livro da Bahia

Olá,

Apesar de saber que meu blog não é exatamente um grande veiculador de notícias já que o mesmo é apenas uma criança nesse mundo virtual com tantos blogueiros profissionais, não posso deixar de divulgar aqui por puro prazer este evento que na minha opinião, é o MELHOR programa que eu gostaria de fazer hoje.



Data e horário
28 de outubro – 12h às 22h
29 de outubro a 06 de novembro – 10h às 22h

Local
Centro de Convenções da Bahia
Av. Simon Bolivar S/N - Salvador – Bahia

Ingressos:
R$ 8,00 - inteiro
R$ 4,00 - meia-entrada para estudantes e idosos.


Telefone para contato: 71 3113 5012

Visite o site: http://www.bienaldolivrodabahia.com.br/

A Evolução da Educação

Recebi esse texto por email e apesar de ser um assunto extremamente compartilhado, comentado e discutido, por uma pequena minoria de pessoas infelizmente, não custa divulgar mais um pouco pra quem sabe um dia, essa consciência ocorra na maioria.


A Evolução da Educação:

Antigamente se ensinava e cobrava tabuada, caligrafia, redação, datilografia... Havia aulas de Educação Física, Moral e Cívica, Práticas Agrícolas, Práticas Industriais e cantava-se o Hino Nacional, hasteando a Bandeira Nacional antes de iniciar as aulas...


Leiam o relato de uma Professora de Matemática:
Semana passada, comprei um produto que custou R$ 15,80. Dei à balconista R$ 20,00 e peguei na minha bolsa 80 centavos, para evitar receber ainda mais moedas.
A balconista pegou o dinheiro e ficou olhando para a máquina registradora, aparentemente sem saber o que fazer.
Tentei explicar que ela tinha que me dar 5,00 reais de troco, mas ela não se convenceu e chamou o gerente para ajudá-la. Ficou com lágrimas nos olhos enquanto o gerente tentava explicar e ela aparentemente continuava sem entender.

Por que estou contando isso?

Porque me dei conta da evolução do ensino de matemática desde 1950, que foi assim:
1. Ensino de matemática em 1950:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é igual a 4/5 do preço de venda.
Qual é o lucro?

2. Ensino de matemática em 1970:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é igual a 4/5 do preço de venda ou R$ 80,00. Qual é o lucro?

3. Ensino de matemática em 1980:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é R$ 80,00.
Qual é o lucro?

4. Ensino de matemática em 1990:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é R$ 80,00.
Escolha a resposta certa, que indica o lucro:
( )R$ 20,00 ( )R$ 40,00 ( )R$ 60,00 ( )R$ 80,00 ( )R$ 100,00

5. Ensino de matemática em 2000:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é R$ 80,00.
O lucro é de R$ 20,00..
Está certo?
( )SIM ( ) NÃO

6. Ensino de matemática em 2009:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é R$ 80,00.
Se você souber ler, coloque um X no R$ 20,00.
( )R$ 20,00 ( )R$ 40,00 ( )R$ 60,00 ( )R$ 80,00 ( )R$ 100,00

7. Em 2010 ...:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é R$ 80,00.
Se você souber ler, coloque um X no R$ 20,00.
(Se você é afro descendente, especial, indígena ou de qualquer outra minoria social não precisa responder pois é proibido reprová-los).
( )R$ 20,00 ( )R$ 40,00 ( )R$ 60,00 ( )R$ 80,00 ( )R$ 100,00

E se um moleque resolver pichar a sala de aula e a professora fizer com que ele pinte a sala novamente, os pais ficam enfurecidos pois a professora provocou traumas na criança.
Também jamais levante a voz com um aluno, pois isso representa voltar ao passado repressor (Ou pior: O aprendiz de meliante pode estar armado)

- Essa pergunta foi vencedora em um congresso sobre vida sustentável:
"Todo mundo está 'pensando' em deixar um planeta melhor para nossos filhos...Quando é que se 'pensará' em deixar filhos melhores para o nosso planeta?"


Precisamos começar JÁ! Ou corremos o sério risco de largarmos o mundo para um bando de analfabetos, egocêntricos, alienados e sem a menor noção de vida em sociedade e respeito a qualquer regra que seja!!!

Fica a reflexão pra vc!


Cerejas

As cerejas são uma delícia, e não estou falando apenas de gastronomia.
A simbologia é interessante e variada, viajando desde significados sexuais como também expressões doces e puras de itens do ambiente infantil.
Inspirando várias vertentes da moda e beleza, as cerejas são uns do principais símbolos utilizados nos looks "pin up" estampando camisetas, sapatos, acessórios, biquinis, bolsas e muito mais.
Eu amo, tanto o fruto como o símbolo... ainda busco encontrar um desenho ideal para tatuá-lo em um certo local estratégico, mas isso é assunto para outro post.












A História da Lingerie


Amo Lingerie e por essa razão, pesquiso, divulgo, compro (quando posso) e para poder um pouco mais começarei a vender em breve. Já que além das lingeries, amo história também, por que não aprender sobre a história das mesmas?

Segue abaixo texto interessante que li sobre Lingerie, aproveitem!
------------------

A História das Roupas de Baixo Femininas
(por Claudia Garcia)

Várias peças e acessórios usados pelas mulheres compõem o que chamamos de lingerie, as conhecidas roupas de baixo. Formada por calcinhas, sutiãs, cintas-ligas, espartilhos e algumas outras peças, a lingerie desperta todo tipo de fantasias. Segundo Freud, a relação do erotismo com as roupas íntimas nada mais é do que o fetiche, ou feitiço. Isso acontece quando a satisfação pessoal se dá através de objetos ou ornamentos.

O cinema e as revistas também ajudaram a criar um clima de sedução e fantasia, despindo as musas de suas roupas e deixando-as apenas com suas roupas de baixo, cada vez mais bonitas e elaboradas.

A lingerie passou por uma série de transformações ao longo do tempo, acompanhando as mudanças culturais e as exigências de uma nova mulher que foi surgindo, principalmente durante o século 20. A evolução tecnológica possibilitou o surgimento de novos materiais, que tornou a lingerie mais confortável e durável, duas exigências da vida moderna.

Desde o tempo das vestes longas, usadas até pouco depois da Idade Média, passando pela ostentação dos séculos 17 e 18, quando era usado um verdadeiro arsenal de acessórios por baixo das grandes saias femininas, até o início do século 20, a mulher sofreu horrores em nome da beleza e da satisfação masculina.

Os espartilhos, usados por mais de quatro séculos, causava sérios problemas à saúde, além do desconforto e da obrigação de ostentar uma "cinturinha de vespa". Os seios, foco da atenção por muito tempo, eram forçados para cima através dos cordões apertadíssimos dos espartilhos. Também as calcinhas, como são atualmente, passaram por drásticas mudanças. No século 19, eram usadas ceroulas, que iam até abaixo dos joelhos. O surgimento da lycra e do nylon permitiu uma série de inovações em sua confecção, que possibilitou até a criação de um modelo curioso nos anos 90: uma calcinha com bumbum falso, que contém um enchimento de espuma de nylon de vários tamanhos e modelagens.

Um acessório sensual muito usado na década de 20 foi a cinta-liga, criada para segurar as meias 7/8. Dançarinas do Charleston exibiam suas cintas-ligas por baixo das saias de franjas, enquanto se sacudiam ao som frenético das jazz-bands. Ainda nos anos 30, a cinta-liga era o único acessório disponível para prender as meias das mulheres, que só tiveram as meias-calças à sua disposição a partir da década de 40, com a invenção do náilon em 1935.

Espartilhos, meias de seda 7/8, ligas avulsas presas às cintas, continuaram sendo usados por muitas mulheres, mas não mais por uma imposição ou falta de opções, mas por uma questão de estilo ou fetiche, já que esses acessórios se tornaram símbolos de erotismo e sensualidade na sociedade ocidental.

A lingerie atravessou o século 20 sempre acompanhando a moda e as mudanças de comportamento. Quando a moda eram roupas justas e cinturas marcadas, lá estava o sutiã com armações de metal, cintas e corpetes para moldar o corpo feminino. Na década de 60, com a revolução sexual, o sutiã chegou até a ser queimado em praça pública, num ato pela liberdade feminina. Uma geração de mulheres afirmava, em 1980, não usar nada por baixo das camisetas ou de seus jeans, mas os tempos mudaram e a moda trouxe tantas novidades em cores, materiais e estilos, indo do esportivo todo em algodão, ao mais sofisticado modelo em rendas e fitas, que as mulheres chegaram a gastar mais em roupas de baixo do que em qualquer outro item de guarda-roupa ainda durante os anos 80.

A indústria de lingerie, que continua crescendo, aposta agora em alta tecnologia. É possível encontrar no mercado desde o espartilho no mais clássico modelo renascentista até o sutiã mais moderno, recheado de silicone, a última novidade.

Extraído do site: http://almanaque.folha.uol.com.br/lingerie.htm

Da série: O que estou lendo?


Depois de um longo período de muita correria e alguns momentos de ócio preguiçoso, resolvi mergulhar nos livros novamente. Vou tentar diminuir a lista de livros comprados e ainda não lidos, porque o vício de ler precisa de uma vez por todas superar o vício de comprá-los.

Voltando aos bons momentos de leituras, recomeço lendo, do ponto que parei, o livro Comprometida, de Elizabeth Gilbert, autora de Comer Rezar Amar, que é claro gostei demais... e sinto muito por o filme não ter contado tão bem a história, infelizmente muita gente que não teve a curiosidade de ler primeiro o livro, viu o filme e não se interessou em ler. Saibam que Comer Rezar Amar, o livro, é de longe muito mais interessante que o filme.

Bem, voltando ao título Comprometida, segue parte da sinopse do livro para quem se interessar:

"A história de Comprometida começa dezoito meses depois do fim de "Comer, Rezar, Amar". Com humor e inteligência, o livro examina questões de compatibilidade, paixão, fidelidade, tradição familiar, expectativas sociais, os riscos de divórcio e as responsabilidades mais mundanas. Liz Gilbert desfaz os mitos, desmonta os medos, constrói uma perspectiva histórica e troca, enfim, fantasias românticas por vitais compromissos emocionais. Assim, o livro se torna uma celebração do amor - com toda a complexidade e as consequências que o amor verdadeiro, sem ilusões, sempre acarretará. " (Extraído do site: Submarino)




Síndrome de Alice

‎"A senhora me desculpe, mas no momento não tenho muita certeza.
Quer dizer, eu sei quem eu era quando acordei hoje de manhã, mas já mudei uma porção de vezes desde que isso aconteceu. (...)
Receio que não possa me explicar, Dona Lagarta, porque é justamente aí que está o problema.
Posso explicar uma porção de coisas...
Mas não posso explicar a mim mesma".
...

Alice no país das Maravilhas (Lewis Carroll,1864.)




Case- se com alguém que você gosta de conversar...

Case- se com alguém que você gosta de conversar...


Por que quando o tempo... for seu inimigo, e as linhas de expressão dominarem sua face e sua vitalidade não for como você gostaria, tudo que restará será bons momentos de conversa com alguém que viveu com você muitas histórias, que segurou as suas mãos inúmeras vezes, que lhe abraçou quando sabia que precisava e que lhe falou a palavra no tempo certo.

Vai se lembrar ao longo da vida de momentos felizes, engraçados, apaixonados e vocês ainda vão rir muito juntos.

Então lembre-se que a beleza passa, pois é vã. Mas o carinho , o respeito, o conhecimento este aumenta a cada dia.

Então case-se com alguém...com quem realmente você gosta de conversar, porque ao longo dos anos, isso fará toda a diferença...




Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *